O que é feminismo e por quem ele luta?

O Instituto Pólis, no âmbito do Programa Jovem Monitor/a Cultural, promoveu no dia 28 de março a formação com a temática Feminismos – história e contextualização, experiências e trajetórias, em celebração ao Dia Internacional da Luta das Mulheres. Mas, o que é feminismo e por quem ele luta? Para refletir sobre a temática, estiveram presentes Julia Bock e Simone Elias, produtoras do documentário Corpo Manifesto dirigido por Carol Araujo, Djamila Ribeiro, mestre em filosofia política e feminista, a poeta e

Olhar São Paulo “de perto e de dentro”: a simplicidade da observação etnográfica

Crianças se banhando nos lagos artificiais da Praça da República. Estátuas vivas e vendedores/as ambulantes no Viaduto do Chá. Músicos populares alegrando a manhã de quem passa pelo Largo do Café. Pessoas em situação de rua sentadas nas escadarias da Catedral da Sé, contemplando o centro de uma cidade incansável. Bem-vindos e bem-vindas a São Paulo. Por entre o antigo das construções do século XVIII e o moderno dos prédios espelhados, cerca de 100 pessoas participaram da “Caminhada pelo

‪#‎pmcSP: Um Plano para diminuir as desigualdades culturais de São Paulo

Como pensar a cultura para uma cidade como São Paulo, com cerca de 11,4 milhões de habitantes? Atualmente o município conta com 178 equipamentos públicos de cultura, sendo eles bibliotecas, casas de cultura, centros culturais, teatros, pontos de leitura, etc. No entanto, regiões como Tremembé, na Zona Norte, e Marsilac, no extremo da Zona Sul, ainda enfrentam a escassez desses espaços. Mas como e onde mudar essa realidade? Para Nabil Bonduki, secretário municipal de cultura de São Paulo, um

Para antropólogo, educação formal não dialoga com as culturas juvenis

Como pensar a educação, trabalho e formação de jovens em um mundo guiado pelas constantes transformações tecnológicas que interferem profundamente nos modos do ser humano se relacionar? Qual a relação entre juventudes, cultura e educação? E, afinal de contas, o que é ser jovem? Para abordar esses dilemas das juventudes no mundo contemporâneo, o antropólogo Alexandre Barbosa Pereira participou da formação teórica do Programa Jovem Monitor/a Cultural (PJMC) realizada no dia 15 de fevereiro, no Centro de Formação e

Aula Pública na Paulista – Conversas de rua: O Direito à Cidade

Neste domingo, 28 de fevereiro, a Avenida Paulista será palco da aula pública Conversas de rua: O Direito à Cidade. A ideia é criar um espaço de diálogo, ocupação da cidade e expressão cultural. O evento é realizado pelo Instituto Pólis em parceria com a Plataforma Global pelo Direito à Cidade, o Escritório Modelo da PUC SP “Dom Paulo Evaristo Arns”, o Instituto Brasileiro de Direito Urbanístico (IBDU), o Fórum Nacional pela Reforma Urbana (FNRU) e o Núcleo de